Grupo do MPF investiga violações na ditadura

Por Frederico Vasconcelos

Reportagem de Chico Otavio, na edição de “O Globo” nesta sexta-feira (9/3), revela que o Ministério Público Federal criou um grupo de trabalho denominado Justiça de Transição, que mobiliza procuradores da República do Rio, São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, e Pará, para os casos de violação de direitos humanos durante o regime militar.

“Embora os militares tenham ficado 21 anos no poder, o trabalho será concentrado nos ‘anos de chumbo’, entre 1969 e 1976, quando ocorreu a maior parte dos casos de tortura, morte e desaparecimento de presos políticos”, revela o repórter.

A primeira reunião do grupo será no início da próxima semana. Segundo o grupo, o MPF poderá investigar agentes públicos mesmo que o Ministério Público Militar tenha arquivado ou venha, eventualmente, a arquivar investigações.

Participam do grupo os procuradores da República Luiz Fernando Lessa, Fábio Seghese, Antonio do Passo Cabral e Ana Cláudia Alencar.