Mais ex-detentos produzem sacolas ecológicas

Por Frederico Vasconcelos

Parceira do Programa Começar de Novo, ONG atua para previnir reincidência criminal

O Projeto Liberty, ONG situada em Campinas (SP), acaba de receber encomenda para fabricar e vender 500 mil sacolas ecológicas, feitas de papel. Para atender à demanda, a instituição decidiu aumentar de dez para setenta o número de trabalhadores: ex-detentos, dependentes químicos, pessoas em situação de rua e portadores do HIV.

Segundo informa a assessoria de imprensa do Conselho Nacional de Justiça, o Liberty é parceiro do Programa Começar de Novo, do CNJ, e atua na prevenção da reincidência criminal.

As Sacolas Ecológicas e Sociais Liberty começaram a ser produzidas em janeiro, com apenas dez contratados, logo depois do acordo entre a Associação Paulista de Supermercados de São Paulo e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente para abolir o uso das sacolas plásticas.

Os contratados recebem aproximadamente R$ 700 por mês, cesta básica, e suas famílias passam a ser apoiadas por outras ações sociais do Liberty.

Segundo o coordenador da ONG, Marcos Silveira, a empresa que fez a encomenda pagará o mesmo preço que pagaria a outro fabricante, com a vantagem de estar promovendo a redução da criminalidade e a proteção do meio ambiente.

“É possível, sim, diminuir a criminalidade. Todos podem participar. Não se paga nada a mais por isso. Se a sociedade quer que alguém que foi preso deixe o crime, é necessário que se ofereça para essa pessoa uma oportunidade de trabalho e uma renda lícita”, afirmou.

Desde sua criação, em 2006, o Projeto Liberty conseguiu colocação no mercado de trabalho para mais de 200 ex-detentos, por meio de parcerias com entidades públicas e privadas.

O programa Começar de Novo foi criado pelo CNJ em outubro de 2009. É executado, de forma descentralizada, pelos tribunais de Justiça dos estados e do Distrito Federal e tem como parceiros órgãos públicos, empresas privadas e entidades da sociedade civil.