Juízo do Leitor: Peluso e Britto no STF (13)

Por Frederico Vasconcelos

Da série com avaliações de leitores sobre a gestão do ministro Cezar Peluso na presidência do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça e a expectativa com relação à administração do ministro Ayres Britto:

Vivemos tempos em que é crescente a exposição do Judiciário na mídia. Suas virtudes e seus defeitos ficam cada vez mais visíveis, o que é próprio de uma sociedade democrática, que busca a transparência dos poderes e nas relações sociais. Na gestão Peluso foi intensificado o papel de protagonismo do STF, com a apreciação de temas de grande relevância, como união homossexual e antecipação terapêutica do parto de anencéfalos. Por outro lado, esta maior exposição também escancarou uma certa dificuldade em administrar idiossincrasias pessoais, o que leva a desgastes gratuitos do Judiciário e merece uma reflexão por parte dos Ministros. Ayres Brito, com sua vocação conciliatória, talvez consiga dar maior unidade à Corte. Esse perfil justifica a expectativa de que imprima sua marca em busca de uma maior democratização do Judiciário, cuja verticalidade extremada nunca foi tocada pelos ventos democráticos da Constituição de 1988. (Pio Giovani Dresch, Presidente da AJURIS – Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul).