Família, impedimentos e justiça desportiva

Por Frederico Vasconcelos

Em entrevista à “Revista O Globo“, Andréa Pachá, juíza da 1ª Vara de Família de Petrópolis, ex-conselheira do Conselho Nacional de Justiça e ex-vice presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, narra um dos episódios que pretende publicar sob forma de crônicas no livro “A vida não e justa”:

Uma mulher queria se separar após 38 anos, alegando que o marido via futebol todo dia. Quando falei que ele tinha que aceitar a separação, ela brigou comigo: “Quem disse que quero me separar? Só trouxe ele aqui porque não me escuta. Avisei que estava saindo de casa e ele me mandou sair da frente da TV que tinha sido impedimento.”

Suspendi o processo por 60 dias e disse a ele: “Nesse tempo, você só pode ver jogo do seu time, Flamengo.”

Estão juntos.