Avaliações formais sobre a inspeção no TJ-SP

Por Frederico Vasconcelos

Da ministra Eliana Calmon, corregedora nacional de Justiça, ao abrir a inspeção no Tribunal de Justiça de São Paulo:

“Estamos todos unidos em torno da melhoria da Justiça. Temos hoje um tribunal aberto, que dá o primeiro passo para a modernização e a transparência, mostrando o que existe na administração”.

Do presidente do TJ-SP, desembargador Ivan Sartori, na abertura da inspeção, segundo informa a assessoria de imprensa do CNJ:

“Para nós é uma tranquilidade receber a inspeção da Corregedoria Nacional e contar com a experiência do CNJ, que poderá nos trazer novos caminhos e ideias”.

Ainda segundo a nota divulgada pelo CNJ, Sartori diz que hoje não há mais resistência dos desembargadores em relação ao CNJ, e existe um entendimento na Corte de que a avaliação isenta do CNJ vai auxiliar o Tribunal a sanar o quanto antes as dificuldades enfrentadas.

Eliana Calmon explicou que esta é a primeira de três etapas de inspeção. As próximas serão conduzidas pelo seu sucessor, ministro Francisco Falcão, que assume em setembro:

“Vamos examinar as coisas que estão certas e erradas, como não terei tempo de fazer tudo, começarei pelas folhas de pagamento e pelos precatórios”, afirmou a ministra.