Mensalão: caixa de surpresas no STF

Por Frederico Vasconcelos

Do ministro do STF Marco Aurélio de Mello, em reportagem de Mônica Bergamo, na Folha, neste sábado (18/8):

“Você veja como o Ayres está mudado. Ele está se mostrando um outro juiz. Ele não está guardando a postura que sempre teve no tribunal, que é a do entendimento.”

(…)

“O Judiciário não pode ser caixa de surpresas e mudar regras estabelecidas a cada passo, para não transformar o julgamento em um julgamento de exceção”.

(…)

[Sem se referir a Britto, segundo a repórter]: “Será que estão querendo correr só para o ministro [Cezar] Peluso votar?”

Do presidente do STF, ministro Ayres Britto, na mesma reportagem, ao negar que, apoiado por um grupo de ministros, esteja tentando apressar o julgamento só para que Peluso vote:

“Não me cabe, nem cabe a ninguém, intensificar o ritmo para que isso ocorra. Assim como não cabe retardá-lo injustificadamente para impedir que o ministro [Peluso] vote. Confio que saberemos fugir dos extremos.”