Votos e responsabilidades recíprocas no STF

Por Frederico Vasconcelos

De Walter Ceneviva, em artigo sob o título “Joaquim Barbosa: presidente”, publicado neste sábado (13/10) na Folha, ao tratar da sucessão no comando do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça:

(…)

Nas dezenas de tribunais brasileiros, tanto na área federal quanto na estadual, o número de presidentes negros é muito pequeno. Ainda predomina o sexo masculino, mas já se está no ritmo do equilíbrio entre homens e mulheres.

(…)

A conduta de Barbosa no processo do “mensalão” sugere que está pronto para os embates da presidência.

A escolha simultânea do ministro Ricardo Lewandowski para vice-presidente gerou alguma preocupação, pois ele e Barbosa tiveram discordâncias ásperas no exame dos processos. A preocupação está abrandada, pois ambos receberam nove votos de dez votantes, a indicar que cada um dos eleitos escolheu o outro. Foi bom prenúncio, da parte de ambos, para os ajustes das responsabilidades recíprocas na chefia do tribunal.