Frederico Vasconcelos

Interesse Público

 -

Repórter especial, trabalha na Folha desde 1985. No blog, reúne textos investigativos, aborda gastos públicos, política nacional e judiciário.

PERFIL COMPLETO

Publicidade
Publicidade

MP-MS: vantagens retroativas elevam ganhos

Por Frederico Vasconcelos

– Em agosto, 94% dos promotores e procuradores receberam acima do teto

– Órgão informa que vantagens eventuais autorizadas só serão pagas até 2013

Reportagem de Gabriel Kabad e Edivaldo Bitencourt, publicada no “Correio do Estado” no último dia 5/10, revela que “94% dos 198 promotores e procuradores de Justiça de Mato Grosso do Sul ganham acima do teto de R$ 26.723,13, que é o valor pago à presidente da República, Dilma Rousseff (PT)”.

Segundo a publicação, “52 representantes do Ministério Público Estadual (MPE) ganharam, no mês de agosto, salário acima de R$ 50 mil no Estado, o dobro do vencimento recebido pela presidente Dilma. O maior salário pago a um procurador de Justiça no Estado é de R$ 70.623,63”.

Ainda segundo a reportagem, “apesar de cobrar transparência e fiscalizar os demais poderes, o MPE retrocedeu no cumprimento da Lei do Acesso à Informação (Lei Federal 12.527, de 18 de novembro de 2011). Enquanto o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS), o Governo Federal e o Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região (TRT-24) divulgaram os salários, gratificações e benefícios com o nome dos servidores, a Procuradoria de Justiça só divulgou o número da matrícula dos funcionários”.

“O órgão se respaldou na Resolução 89 do Conselho Nacional do Ministério Público, que tornou facultativo a divulgação nominal dos salários”, conclui a reportagem.

A Assessoria de Comunicação do Ministério Público de Mato Grosso do Sul informou ao Blog que no mês de agosto, e desde que foi autorizado o pagamento de Vantagens Eventuais Retroativas, o valor da remuneração dos membros do Ministério Público se elevou, mas essas vantagens só serão pagas até agosto de 2013, no caso da PAE (Parcela Autônoma de Equivalência), e até janeiro de 2013, no caso do Auxílio Moradia.

Ainda segundo a assessoria, “são verbas retroativas que, somadas ao valor do subsídio, em alguns casos, alcança o montante colocado na matéria, que não explica essa situação, e cita os valores como se fossem salários”.

Segundo “Tabela Remuneratória” publicada no portal do MP, eis os valores do subsídio pago no mês de agosto (entre parênteses, valor líquido):

Procurador de Justiça: R$ 24.117,62 (R$ 16.318,42); Promotor de Justiça (Entrância Especial): R$ 22.911,74 (R$ 15.540,33); Promotor de Justiça (Segunda Entrância): R$ 21.766,15 (R$ 14.801,14); Promotor de Justiça (Primeira Entrância): R$ 20.677,84 (R$ 14.098,91) e Promotor de Justiça (Substituto): R$ 18.610,06 (R$ 12.764,67).

Blogs da Folha

Categorias

Sites relacionados

Publicidade
Publicidade
Publicidade