Moro: fim de varas de lavagem é retrocesso

Por Frederico Vasconcelos

Para juiz, mensalão revelou que casos complexos exigem atenção e recursos

O juiz federal Sergio Fernando Moro, de Curitiba (PR), enviou ao Blog o comentário a seguir sobre a informação de que o Conselho da Justiça Federal deverá aprovar a extinção das varas especializadas em julgar crimes de lavagem de dinheiro e delitos contra o Sistema Financeiro Nacional:

 

Se tem algo que a AP 470 (vulgo Mensalão) ensinou aos operadores do direito é que existem casos criminais complexos que demandam foco de atenção e de recursos, ainda que em prejuízo de processos corriqueiros. Mais vale um bom processo contra um grande lavador de dinheiro sujo do que mil contra batedores de carteira.

Daí a óbvia necessidade de existirem unidades jurisdicionais especializadas e focadas em casos criminais mais complexos.

Interessante notar que, recentemente, no Supremo, no julgamento da ADIn 4414, foram feitos elogios à especialização de Vara em processo envolvendo crime organizado na Justiça Estadual de Alagoas.

Se essa notícia se confirmar, da extinção das Varas especializadas em lavagem pelo Conselho da Justiça Federal, haverá grande retrocesso.

Escapa-me sinceramente a sabedoria de suposta intenção da espécie, especialmente quando aparentemente motivada por questões circunstanciais e prognósticos prematuros.