“Corpo a corpo” na aprovação do substitutivo

Por Frederico Vasconcelos

O corregedor nacional de Justiça, ministro Francisco Falcão, afirmou durante a sessão do Conselho Nacional da Justiça, nesta terça-feira (19/2), que a proposta alterando resolução anterior que proibia patrocínio privados em eventos de magistrados foi elaborada a quatro mãos, no último sábado, por ele e pelo conselheiro Carlos Alberto Reis de Paula.

A Associação dos Magistrados Brasileiros divulga em seu site que “após intenso corpo a corpo do Presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Nelson Calandra, acompanhado pelos diretores da instituição, o CNJ aprovou o texto substitutivo apresentado pelo Ministro Carlos Alberto Reis de Oliveira”.

De acordo com a entidade, “nesta segunda-feira (18), Diretores da AMB se reuniram em Brasília na tentativa de promover um debate mais aprofundado sobre a resolução. Durante a tarde, o grupo foi recebido por Conselheiros do CNJ, aos quais apresentaram as dificuldades da Magistratura, caso a resolução fosse aprovada da forma como fora apresentada”.

Ainda de acordo com a diretoria da AMB, “a apresentação do texto substitutivo na noite de segunda-feira e a aprovação da nova redação representa conquistas de extrema importância na luta diária pela valorização da Magistratura e da vida associativa”.

(*) Com correção no texto às 18h46