Ex-servidor viola sistema da Procuradoria

Por Frederico Vasconcelos

Demitido, acusado de inserir software malicioso no MPF responderá judicialmente.

 

O Ministério Público Federal em São Paulo pediu à Justiça Federal a indisponibilidade dos bens de um ex-servidor de seu próprio quadro, acusado de violar o principal servidor de informática da Procuradoria Regional da República da 3ª Região (PRR-3), onde era lotado.

O funcionário público foi demitido em março e responderá judicialmente por improbidade administrativa, podendo ser condenado ao pagamento de multa de R$ 892 mil.

Segundo informa a assessoria de imprensa da PRR-3, a ação invasiva aconteceu em janeiro de 2011. O software foi utilizado por duas vezes nesse mesmo dia, provocando um ataque de negação de serviço, que consumiu os recursos computacionais do equipamento, obrigando seu desligamento pela interrupção do fornecimento de energia.

O ex-servidor tentou atacar o sistema outras vezes no mesmo dia, mas as senhas de acesso foram alteradas.

“O travamento desse servidor, os ataques efetuados, bem como as ameaças de outros ataques geraram preocupação e prejuízo ao bom andamento dos trabalhos, não só especificamente do setor de informática como, potencialmente, aos trabalhos da PRR-3 como um todo”, informa a ação, assinada pelo procurador da República José Roberto Pimenta Oliveira.