Frederico Vasconcelos

Interesse Público

 -

Repórter especial, trabalha na Folha desde 1985. No blog, reúne textos investigativos, aborda gastos públicos, política nacional e judiciário.

PERFIL COMPLETO

Publicidade
Publicidade

CNJ investiga varas empresariais no Rio

Por Frederico Vasconcelos

A Corregedoria Nacional de Justiça vai realizar correição em varas empresariais do Rio de Janeiro, para aprofundar a apuração de denúncias de irregularidades na administração das mais lucrativas massas falidas cujos processos tramitam no Tribunal de Justiça daquele Estado.

A correição, a realizar-se de 30 de setembro a 4 de outubro, vai complementar apurações já realizadas pela Corregedoria Nacional em sindicância aberta em novembro do ano passado, motivada por denúncias da imprensa. A decisão foi tomada em portaria do ministro Francisco Falcão, assinada na última quarta-feira (4/9).

Segundo as reportagens, magistrados nomeavam parentes e amigos para administrarem as massas falidas mais lucrativas. Uma das estratégias era prolongar os procedimentos de liquidação para aumentar o lucro com contratações superfaturadas, e muitas vezes desnecessárias, de escritórios de advocacia, contadores e vigilantes.

A correição também é motivada por Pedido de Providências que tramita no CNJ (*), para investigar a Central de Liquidantes criada pela Corregedoria-Geral de Justiça do Rio de Janeiro. O pedido é relatado por Falcão.

Participarão da correição o conselheiro Gilberto Valente Martins, do CNJ; o juiz auxiliar da Corregedoria Nacional de Justiça Júlio César Machado Ferreira de Melo; magistrados e servidores do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJ-MT) e do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina.

Martins esteve à frente da sindicância aberta pela Corregedoria Nacional de Justiça após a divulgação das primeiras denúncias sobre o caso.

(*) Pedido de Providências nº 0006951-20.2012.2.00.0000

Blogs da Folha

Categorias

Sites relacionados

Publicidade
Publicidade
Publicidade