Frederico Vasconcelos

Interesse Público

 -

Repórter especial, trabalha na Folha desde 1985. No blog, reúne textos investigativos, aborda gastos públicos, política nacional e judiciário.

PERFIL COMPLETO

Publicidade
Publicidade

Sartori distribui medalhas em final de gestão

Por Frederico Vasconcelos

Soldado recebe medalha

medalhados

Tribunal cria condecoração e diploma para magistrados, servidores e colaboradores.

 

Em cerimônia realizada nesta segunda-feira (2/12), o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo entregou 31 medalhas e 36 diplomas, condecorações destinadas a magistrados, servidores e colaboradores criadas por iniciativa do presidente do tribunal, desembargador Ivan Sartori.

Tendo por motivo os 80 anos da inauguração do TJ-SP, a “Medalha do Mérito Judiciário Ministro Manoel da Costa Manso” homenageia pessoas da área jurídica que tenham prestado relevantes serviços ao Poder Judiciário de São Paulo.

O “Diploma Ramos de Azevedo” é concedido com a mesma finalidade a pessoas da área jurídica ou não que tenham colaborado com o tribunal.

Em nome dos agraciados, o desembargador Antônio Mário de Castro Figliolia disse que a criação das condecorações “preenche uma lacuna”.

“Não obstante o seu porte –o que implica o inevitável contato com milhares de pessoas e entidades, da área jurídica ou não–, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, na prática, não tinha como expressar gratidão aos que assim merecessem”, afirmou.

Figliolia citou como “falha grave nesta primeira outorga da medalha e do diploma” o fato de Sartori não estar entre os homenageados.

“Mais do que qualquer um dos primeiros destinatários destas importantes condecorações, deveria recebê-las todas o Excelentissimo Senhor Presidente, Desembargador Ivan Sartori, por conta do maravilhoso trabalho desenvolvido ao longo desses dois anos de seu revolucionário mandato”, disse.

Sartori afirmou que “gostaria de condecorar muito mais pessoas, mas há um representante de cada seguimento ou atividade”.

“O Tribunal de Justiça pode ser considerado uma instituição afortunada, porque temos pessoas que fazem a diferença. Pessoas laboriosas, que enfrentam desafios com galhardia e enaltecem o Poder Judiciário”, disse Sartori.

Blogs da Folha

Categorias

Sites relacionados

Publicidade
Publicidade
Publicidade