Barros Levenhagen vai presidir o TST

Por Frederico Vasconcelos

Escolha foi antecipada por iniciativa do ministro Reis de Paula, que vai se aposentar.

TST Dirigentes

O Tribunal Superior do Trabalho antecipou a eleição da próxima direção e escolheu, nesta quarta-feira (11/12), o ministro Antonio José Barros Levenhagen para exercer o cargo de presidente da Corte, com mandato de dois anos.

A antecipação da eleição foi uma iniciativa do presidente do TST, ministro Carlos Alberto Reis de Paula. A próxima direção deverá tomar posse em fevereiro de 2014, após a aposentadoria compulsória de Reis de Paula.

Foram eleitos, ainda, o ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, como vice-presidente, e João Batista Brito Pereira, como corregedor-geral da Justiça do Trabalho.

Segundo informa a assessoria de imprensa do TST, Reis de Paula justificou a antecipação da eleição como forma de permitir uma fase de transição. “O Tribunal estará em mãos hábeis e competentes”, disse.

Levenhagen é o atual vice-presidente do TST. De acordo com o presidente eleito, “é preciso que a sociedade saiba o quanto se trabalha no Tribunal Superior do Trabalho”.

“Precisamos ter condições de  discutir teses sem prejuízo da saúde do magistrado, do seu convívio social e com disponibilidade para a elaboração de votos consistentes e de qualidade”, afirmou.

Mineiro de Baependi, Barros Levenhagen iniciou a carreira na magistratura trabalhista em São Paulo, em 1980. Nomeado por merecimento ao TRT de Campinas em 1993, chegou ao TST seis anos depois, onde presidiu a Quarta Turma e integrou o Conselho Superior da Justiça do Trabalho. Foi também corregedor-geral da Justiça do Trabalho.

Ives Gandra Martins Filho nasceu em São Paulo. É professor e mestre em Direito pela Universidade de Brasília (UnB). Chegou ao TST em 1999, pelo quinto constitucional. Foi Conselheiro do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho. Atualmente é corregedor-geral da Justiça do Trabalho.

João Batista Brito Pereira nasceu em Sucupira do Norte (MA). Bacharel em Direito formado pelo Centro Universitário do Distrito Federal (UDF). Pós-graduado em Direito Público, ingressou no Ministério Público do Trabalho em maio de 1988. Foi subprocurador-geral do Trabalho, cargo que exerceu até sua posse no Tribunal Superior Trabalho, em 31 de maio de 2000.