TST julga juiz amigo de Cachoeira

Por Frederico Vasconcelos

Júlio César andamento

Está na pauta do Órgão Especial do Tribunal Superior do Trabalho nesta segunda-feira (10/2) o julgamento de recurso do ex-juiz [desembargador] Júlio César Cardoso de Brito, aposentado compulsoriamente do Tribunal Regional do Trabalho de Goiás em março do ano passado.

Em julho de 2012, o TRT da 18ª Região afastou o desembargador, acusado de envolvimento com o empresário Carlinhos Cachoeira.

Escutas telefônicas feitas pela Polícia Federal e documentos encaminhados ao TRT pela 11ª Vara Federal Criminal de Goiás revelaram que Brito orientava advogados do grupo de Cachoeira a lidar com ações no tribunal em troca de vantagens financeiras.

Por unanimidade, os desembargadores do tribunal abriram processo disciplinar para investigar denúncias apresentadas pelo Ministério Público do Trabalho e pelo Sindicato dos Servidores Federais em Goiás.

O envolvimento de Brito com Cachoeira foi investigado inicialmente por uma comissão de sindicância, após reportagens publicadas pelos jornais “O Popular“, de Goiás, e “Correio Braziliense“, de Brasília, revelarem as ligações do desembargador com o grupo.

O desembargador alegou em sua defesa que não houve qualquer influência sua no julgamento de processos.