Doorgal Andrada vence eleição paralela para presidente do TJ-MG

Por Frederico Vasconcelos

Doorgal AndradaJuízes mineiros antecipam votação que será realizada apenas por desembargadores na próxima segunda-feira.

A Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis) divulgou o resultado da consulta inédita a todos os magistrados, ativos e inativos, que votaram antecipadamente indicando quais os candidatos que deveriam ser escolhidos para os cargos de direção do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

As eleições efetivas serão realizadas na próxima segunda-feira (28/4), mas delas só participarão os desembargadores. No último dia 17/3, o Pleno do TJ-MG ampliou a elegibilidade a todos os desembargadores, mas negou a inclusão dos votos de juízes.

Depois de 10 dias de votação ininterrupta, 872 magistrados participaram da consulta, via eletrônica ou por cédula, apresentando os seguintes resultados: para o cargo de presidente do TJ-MG, venceu Doorgal Andrada (550 votos); 1° vice-presidente, Baía Borges (588); 2° vice-presidente, Kildare Gonçalves (411); 3° vice-presidente, Audebert Delage Filho (506); corregedor-geral de Justiça, Antônio Sérvulo (412); e para vice-corregedor-geral de Justiça, Walter Luiz de Melo (319).

Para o presidente da Amagis, desembargador Herbert Carneiro, a democratização do Poder Judiciário “é um processo irreversível em todo o País que, a exemplo da ampliação da elegibilidade, igualmente reconhecerá o valor e a importância da participação dos juízes de 1º grau nas principais decisões do Poder que também integram”.

Segundo a Amagis, o sistema utilizado pela internet foi desenvolvido no Massachusetts Institute of Technology (MIT), garantindo a segurança e o sigilo em todo o processo. É utilizado, por exemplo, em eleições das diretorias de diversas universidades públicas brasileiras, como a USP.