Falcão diz que fará gestão republicana

Por Frederico Vasconcelos

Nancy Andrighi e Francisco FalcãoFelix Fischer desiste de concorrer à corregedoria nacional e Nancy Andrighi é eleita com 30 votos .

O presidente eleito do Superior Tribunal de Justiça, ministro Francisco Falcão, diz que fará uma “administração com visão republicana, sem nenhuma caça às bruxas”. Ele obteve 29 dos 32 votos, em eleição secreta realizada nesta terça-feira (27). A Corte é formada por 33 ministros, mas há uma vaga aberta com a aposentadoria da ministra Eliana Calmon.

A escolha foi precedida por fortes divergências entre Falcão e o presidente do tribunal, ministro Felix Fischer, dividindo a Corte. Na hora da votação, prevaleceu o critério tradicional da antiguidade. A vice-presidente será a ministra Laurita Vaz. A posse será no início de setembro.

Logo cedo, Falcão soube que Fischer desistira da pretensão de sucedê-lo no cargo de corregedor nacional de Justiça. A ministra Nancy Andrighi foi eleita para o cargo com apoio do atual corregedor, tendo recebido 30 votos.

“Faremos uma administração revolucionária, moderna, aplicando de forma transparente os recursos orçamentários”, diz Falcão. Ele prometeu “mutirões de julgamentos”, para reduzir o grande número de processos acumulados, e investimentos em informatização para tornar o tribunal mais acessível aos advogados.

A cerimônia de posse foi rápida. Ao final, Falcão recebeu os cumprimentos de Fischer.

Em seu discurso, o presidente eleito do STJ homenageou o pai, ministro Djaci Falcão, que morreu em 2012, tendo presidido o Supremo Tribunal Federal (1975/1977).