Voz do servidor no Tribunal paulista

Por Frederico Vasconcelos

Alemão e Órgão EspecialA Associação dos Servidores do Poder Judiciário do Estado de São Paulo (Assojuris) comunicou aos associados ter sido informada da decisão provisória do presidente do TJ-SP, desembargador José Renato Nalini, de franquear à entidade “voz ao servidor”, sem direito a voto, nas sessões administrativas do Órgão Especial.

Segundo a associação, Nalini aprovou parecer dos juízes assessores da Presidência Luciano Gonçalves Paes Leme e Luis Manuel Fonseca Pires e “franqueou, desde logo, e por decisão precária”, a presença da Assojuris nas sessões administrativas, até deliberação definitiva pelo Órgão Especial.

O pedido foi feito pela Assojuris, para deferir sua participação, bem como das demais entidades representativas dos servidores do Judiciário paulista.

“Os servidores não poderiam ficar excluídos da discussão de seus direitos, pois os trabalhadores têm muito a contribuir para o bom andamento do Judiciário”, afirma Carlos Alemão, presidente da Assojuris [foto].