TJ-SP elege Conselho Consultivo

Por Frederico Vasconcelos

Conheça algumas das propostas e ideias que magistrados e servidores candidatos pretendem discutir no conselho.

TJ-SP

Nesta quarta-feira (4), o Tribunal de Justiça de São Paulo elege os integrantes do Conselho Consultivo Institucional, criado pelo presidente da Corte, desembargador José Renato Nalini, com o propósito de ampliar os canais de comunicação com outras instituições, com o público interno e com a sociedade civil organizada.

Por meio de votação pela intranet serão escolhidos os representantes dos magistrados e servidores (foram inscritos 7 magistrados e 38 servidores). O conselho será formado por 22 membros (11 institucionais e 11 da sociedade civil), com mandato até 31 de dezembro de 2015.

Ao se inscreverem, juízes e servidores candidatos apresentaram dados curriculares e propostas de temas que pretendem defender no Conselho.

A seguir, algumas das propostas e ideias oferecidas, selecionadas pelo Blog e listadas sem ordem de importância, apenas para permitir uma amostra das sugestões que a magistratura e o funcionalismo pretendem discutir no colegiado:

Propostas de magistrados

 1) Administração democrática; 2) Apoio técnico aos juízes; 3) Varas de ações coletivas; 4) Convênios com universidades para realização de perícias; 5) Recursos proporcionais à demanda de serviços; 6) Novo plano de carreiras aos servidores; 7) Melhor regramento do plantão judiciário; 8) Participação de pelo menos três juízes de direito no Órgão Especial; 9) Direcionamento de funcionários prioritariamente para a primeira instância; 10) Criação de um blog institucional para comunicação com os eleitores; 11) Ponte entre a magistratura, MP e Executivo para atendimento de crianças e adolescentes em situação de risco; 12) Rotatividade dos juízes eleitorais; 13) Regulamentação dos cargos de auxiliar do interior; 14) Especialização e criação de varas ambientais; 15) Melhor acesso da sociedade civil organizada ao trabalho dos juízes; 16) Imediata retirada dos fóruns de armas que não podem ser destruídas; 17) Trabalho em esquema de home office; 18) Linhas de trabalho alternativas em parcerias com juízes vitimados pelo excesso de litígios; 19) Políticas amplas de conciliação pré-processual; 20) Centros de processamento de ações repetitivas, para a tramitação conjunta.

Propostas de servidores

1) Aulas e palestras através da intranet; 2) Pagamento de atrasados; 3) Horário justo nos fóruns; 4) Apoio a servidores que passam pelo vício das drogas e bebidas; 5) 14º salário; 6) Escola para formar gestores públicos; 7) Reciclagem periódica de servidores antigos; 8) Revisão de plano de cargos e carreira; 9) Criação de canal interativo para eliminar dúvidas sobre o sistema de automação da justiça; 10) Jornada de trabalho de seis horas; 11) Reajuste nos valores dos auxílios; 12) Reposição de perdas salariais; 13) Instalação de ambulatórios e criação de CIPAs; 14) Fomento à formulação de ideias pelos servidores e disseminação de boas práticas; 15) Discussão sobre a execução do orçamento; 16) Prioridade no julgamento de ações de improbidade administrativa e crimes contra a administração pública; 17) Avaliação dos superiores hierárquicos pelos subordinados, para detectar abusos; 18) Plano médico de adesão opcional; 19) Intolerância com o assédio moral; 20) Programa para resgatar a autoestima e confiança dos servidores.