Diálogo impróprio em banca de concurso

Por Frederico Vasconcelos

O Conselho Nacional de Justiça colocou em disponibilidade, com vencimentos proporcionais ao tempo de serviço, o desembargador Jaime Ferreira de Araújo, do Tribunal de Justiça do Maranhão (*). A decisão foi tomada por maioria na sessão desta terça-feira (3).

Foram constatados “diálogos impróprios, de cunho pessoal”, entre o desembargador e uma candidata de concurso para ingresso na magistratura. O magistrado integrava a banca do concurso.

Durante a prova oral, o desembargador perguntou à candidata por que ela não atendera a ligação telefônica feita por ele. O diálogo foi gravado.

“Após a realização da prova oral, o desembargador não poderia mais atuar em qualquer ato administrativo que envolvesse a candidata, pois estabelecera diálogos inadequados, impróprios para o contexto do certame”, afirmou a relatora, conselheira Maria Cristina Peduzzi.

—————————————————-

(*) PAD 0005845-23.2012.2.00.0000