O país do futebol e dos rituais

Por Frederico Vasconcelos

O cidadão comum deve imaginar que um telefonema entre os presidentes de dois tribunais e alguns despachos são suficientes para determinar que a Justiça Federal e a Justiça Estadual ampliem o horário de atendimento dos postos judiciais nos aeroportos paulistas durante a Copa do Mundo FIFA 2014.

Mas não é assim que a coisa funciona no Judiciário.

“Para garantir a eficiência do serviço judiciário, com custo adequado, no período de realização do evento”, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e o Tribunal Regional Federal da 3ª Região realizaram solenidade de assinatura de um “Acordo de Cooperação Técnica”, como este Blog noticiou.

O acordo recebeu nove assinaturas. Além dos presidentes das duas Cortes, desembargadores, juízes e assessores, firmaram o pacto como intervenientes e testemunhas.