Nancy Andrighi, segundo ex-corregedores

Por Frederico Vasconcelos

Andrighi, Falcão, Calmon e Dipp

O Blog pediu aos três corregedores que antecederam a ministra Nancy Andrighi que comentassem a expectativa em torno da atuação da próxima Corregedora Nacional de Justiça.

Eis o que pensam Gilson Dipp, Eliana Calmon e Francisco Falcão sobre o propósito de Andrighi, anunciado durante a sabatina no Senado, de que exercerá “com silêncio e efetividade” a fiscalização da atuação dos juízes, dos serviços judiciais auxiliares, das serventias e dos serviços notariais:

Gilson Dipp: “Conheci a Nancy quando era advogado no Rio Grande do Sul e ela, juíza de Direito. Tem experiência, vivência na magistratura. Tem todas as condições de exercer com tranquilidade o cargo. Não faço expectativas em torno de nomes. A Corregedoria tem regras, competência muito ampla. Há um amplo leque de ação, não cuida apenas da questão disciplinar, que é uma partícula. Cada um traz para o cargo suas características pessoais, uns são mais falantes, outros menos. Eu, por exemplo, falava menos que Eliana”.

Eliana Calmon: “A ministra Nancy é magistrada de carreira e profunda conhecedora do Judiciário. Tem perfil conciliador e ameno, mas é intransigente e cobra resultados. Será uma boa corregedora, tenho certeza”.

Francisco Falcão: “Não tenho dúvida de que Nancy Andrighi vai ser tão rigorosa como eu fui. É um trabalho sem volta. Tenho certeza que ela vai continuar esse trabalho, agindo com discrição e garantindo o amplo direito de defesa. Ela diz que vai agir com mão de ferro em luva de pelica. Ela é muito dura com desvios de conduta”.