Barbosa visto por juristas e estudantes

Por Frederico Vasconcelos

JOAQUIM DE ALMA LEVE

O site do Supremo Tribunal Federal divulgou nesta segunda-feira (1º) trechos de cartas de estudantes do 8º ano do Instituto de Educação Estadual de Maringá (PR) enviadas ao ministro Joaquim Barbosa. A publicação foi feita no dia em que eram previstas críticas à gestão do ministro, que presidiu sua última sessão, depois de vários episódios em que colidiu com magistrados e advogados.

Sem discursos, Barbosa, que antecipa a aposentadoria, disse que deixa o STF com a alma leve.

A ideia de aproximar os alunos “de personagens reais da história brasileira”, segundo informa o STF, partiu da professora Ignez Gealh. Além da biografia do ministro citada por vários alunos nas cartas, a professora também utilizou notícias de jornal, revistas e internet para informar os estudantes e prepará-los para um debate em sala de aula sobre o tema.

“Percebia-se que encontraram um personagem que preenchia suas almas de esperança, fé e coragem. Foi então que surgiu a ideia de escrever-lhe a carta”, afirmou a professora.

Para evidenciar a distância entre as gerações e mostrar a leitura distinta sobre o mesmo personagem em universos diferentes, o Blog reproduz a seguir algumas manifestações de estudantes do Paraná e comentários de magistrados e advogados publicados nas últimas semanas (*).

 

Quando li sua história logo admirei-o e de onde veio e de onde agora está, por enfrentar preconceitos e sair vitorioso, e por não se abater pela pobreza. Um querido herói para todos os brasileiros, a inspiração para as crianças”. (Isaac Di Lascio Silva, estudante)

“Se para a população em geral [o ministro] passou a imagem de grande paladino da Justiça e de defensor da Constituição, em muitos momentos, para a comunidade jurídica, público mais especializado, transmitiu a sensação de intolerância quanto ao exercício da advocacia e em relação ao direito de defesa.” (Marcelo Knopfelmacher, presidente do Movimento de Defesa da Advocacia)

Poder tê-lo como exemplo, modelo de vida a ser seguido é agradável. O que mais me surpreende é que, o senhor na infância poderia ter tudo para desistir.” (Fernanda dos Santos Silva, estudante)

A magistratura não sentirá saudades de Joaquim Barbosa.” (Nino Toldo, ex-presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil – Ajufe)

“Aprendi muitas coisas lendo sua biografia e uma dessas coisas foi que cada pessoa pode mudar o mundo do seu jeito.” (Nathan Lucas Godoy, estudante)

Infelizmente o ministro Joaquim vai deixar como marca o destempero e a arrogância no trato com as pessoas, sejam seus colegas de Casa, sejam juízes, sejam jornalistas ou advogados.” (Antonio Carlos de Almeida Castro, advogado criminal)

“Parabéns pela sua história de vida, sempre com dedicação e honestidade.” (Carolina de Lima Sousa, estudante)

O ministro Joaquim Barbosa não deixará saudades entre os que foram vítimas de ofensas e atos arbitrários, leia-se advogados, juízes e muitos de seus próprios colegas no STF.” (Alberto Zacharias Toron, advogado)

Venho através desta carta, dizer que estudei sua biografia e soube que realizou os diversos trabalhos mais simples para pagar as universidades internacionais, para conseguir formar-se.” (Vitória Gabriele Baier da Silva, estudante)

“[O ministro Joaquim Barbosa] fez muito pela magistratura, guardando três características muito importantes que se exige: a nobreza de caráter, sua elevação moral e sua independência olímpica.” (Luiz Fux, ministro do STF)

Caríssimo Ministro, eu como jovem te admiro por ser uma pessoa íntegra, justa, que tem amor por essa pátria. Desejo seguir seu exemplo de vida.” (Geovanna Cruz Silva, estudante)

É o resgate da liturgia que precisa ser observado. As instituições crescem quando nós proclamamos valores, quando nós observamos a necessidade de manter o alto nível. Precisamos voltar ao padrão anterior, que não é só da Fifa. Deve ser também das instituições brasileiras. Esse padrão ficou arranhado na última gestão.” (Ministro Marco Aurélio, do STF)

“Queria saber qual é o seu segredo de na sua época de escola conseguir chegar onde o senhor chegou, com tão poucos recursos, e eu com muito, reprovei uma vez, vou levar o seu nome a sua história de vida como exemplo para o meu futuro.” (Maria Eduarda S. Miranda, estudante)

Sua personalidade forte e forma dura, e por vezes até mesmo ríspida, de agir e se expressar angariaram a antipatia de muitos.” (Sérgio Rosental, presidente da Associação dos Advogados de São Paulo)

Eu, cidadã brasileira, dirijo-me a Vossa Excelência com o mais alto grau de respeito, consideração e admiração. Sr. Joaquim Barbosa, admiro sua profissão, quero ser juíza, esse é meu foco, mas não tenho sido bem sucedida na escola, vou espelhar-me na sua vida, na sua biografia.” (Geovana Ferreira, estudante)

———————————————————————————————-

(*) Obs. – O post reproduz algumas opiniões publicadas no site “Consultor Jurídico“.