Se a corregedoria tarda, a Justiça falha

Por Frederico Vasconcelos

Em editorial publicado no último domingo (13), sob o título “A corrupção na Justiça”, o jornal “O Estado de S. Paulo” cita a prisão preventiva de um juiz em Minas Gerais e a condenação, três semanas depois, de um juiz em São Paulo, ambos denunciados por receber propinas.

“Os dois casos mostram os problemas que as corregedorias judiciais enfrentam para cumprir suas funções fiscalizadoras. Fossem menos corporativas e mais rigorosas no cumprimento de suas atribuições, magistrados indignos da toga teriam sido punidos muito tempo antes e os abusos e as ilegalidades por eles cometidos não teriam chegado ao ponto que atingiram”, afirma o jornal.

(…)

“As corregedorias da Justiça precisam ser reorganizadas, para se tornarem mais eficientes. Fossem elas mais rigorosas, juízes corruptos não teriam conseguido ir tão longe”, conclui o editorial.