Futuros juízes ouvem a população

Por Frederico Vasconcelos

Os candidatos à magistratura no Rio Grande do Sul entrevistarão pessoas no Centro de Porto Alegre, na próxima sexta-feira (25), para saber quais as expectativas da sociedade em relação aos juízes.

Os 73 candidatos à magistratura que participarão da prática se encontram na última fase do concurso para juiz de Direito do Estado do Rio Grande do Sul.

Segundo os organizadores dessa pesquisa inédita, o objetivo é aproximar os candidatos da sociedade, fazendo-os perceber quais as qualidades que um magistrado deve desenvolver, qual o defeito que não deve possuir ou que deve corrigir.

A atividade foi uma iniciativa do corregedor-geral da Justiça, José Luiz Leal Vieira, com apoio do Tribunal de Justiça do RS e parceria da Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (Ajuris) e da Escola Superior da Magistratura da Ajuris.

“O Judiciário gaúcho é reconhecido por decisões que tornam a jurisdição mais eficiente, porque a magistratura estadual vem consolidando sua função social atendendo a demandas cada vez mais ocorrentes, em decisões, que garantem, por exemplo, vagas em creches e escolas, e o direito a leitos em hospitais, a medicamentos e procedimentos médicos”, afirma Eugênio Terra, presidente da Ajuris.

“O Judiciário deve estar próximo da sociedade. Por isso, pretendemos com a pesquisa  desencadear esse debate com os candidatos, contribuindo para a formação de magistrados amoldados aos tempos atuais”, diz José Luiz Leal Vieira.

A elaboração do questionário teve a colaboração da professora Maria Tereza Sadek e da Assessoria de Gestão Estratégica e Qualidade do TJ-RS.