A pauta do CNJ e a pauta da sociedade

Por Frederico Vasconcelos

Lewandowski e Joaquim Falcão

Reportagem de Maíra Magro, publicada no jornal “Valor Econômico” desta terça-feira (5), retoma avaliação já feita neste espaço, prevendo que o presidente interino do Conselho Nacional de Justiça, ministro Ricardo Lewandowski, pretende se dedicar menos a questões disciplinares, um dos focos de seu antecessor, ministro Joaquim Barbosa, e mais a projetos que envolvam o planejamento do Judiciário.

Segundo o texto, “outra característica de sua gestão deve ser um avanço da pauta corporativa de entidades de juízes, com quem, ao contrário de Barbosa, mantém ótimas relações”.

Ouvido a respeito, o professor Joaquim Falcão, diretor da FGV Direito e Rio e ex-conselheiro do CNJ, disse ao jornal que a pauta da sociedade passa hoje pelo interesse no combate à corrupção, à lentidão da Justiça, além da percepção de que os salários do Judiciário são altos demais.

“O ministro Lewandowski disse que quer uma Justiça unida e está certo. Mas a Justiça tem que ser unida em torno dos objetivos que a sociedade estabeleça”, afirma o professor da FGV.