Coquetel e protesto na posse de Lewandowski

Por Frederico Vasconcelos

Servidores da Justiça Federal e MPU preparam ato contra o corte de orçamento feito pelo Executivo.

As associações de magistrados (AMB, Ajufe e Anamatra) e a OAB promovem nesta quarta-feira (10), às 20h, no Unique Palace, em Brasília, um coquetel em homenagem ao ministro Ricardo Lewandowski, que tomará posse hoje no cargo de presidente do Supremo Tribunal Federal.

Lewandowski pediu aos organizadores que o evento social fosse discreto e espartano, com música ambiente. A AMB informa que não haverá patrocínio de órgãos públicos ou privados para os gastos com o evento.

Em novembro de 2012, as entidades da magistratura também ofereceram recepção numa casa de eventos em homenagem à posse do ministro Joaquim Barbosa na presidência do STF. Segundo informou a Anamatra, os valores foram oriundos dos cofres das associações de magistrados, com contribuições de juízes.

A posse de Lewandowski será realizada às 15h. Prevê-se a presença de 800 pessoas. Lewandowski pretende que a solenidade seja um ato formal.  Na cerimônia de posse de Barbosa, o Hino Nacional foi executado ao bandolim pelo músico Hamilton de Holanda, convidado do ministro.

A Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União (Fenajufe) organiza um ato público na Praça dos Três Poderes no momento da posse, como protesto pelo corte efetuado pelo Executivo no orçamento de 2015 do Judiciário Federal e do MPU.

A entidade orientou os servidores a comparecerem vestidos de preto, com mordaças e tarjas na mesma cor.

A AMB entende que o protesto dos servidores é dirigido ao governo federal.

Em nota, os servidores reclamam que o presidente do STF “costurou um acordo com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), a fim de conseguir o aumento para os juízes – com impacto sobre o teto salarial do funcionalismo – mas não se empenhou pelo projeto salarial dos servidores”.

A assessoria do ministro nega essa informação. Sustenta que Lewandowski tem se empenhado, igualmente, para atender os pleitos dos magistrados e dos servidores.