Novo golpe utiliza dados de advogados

Por Frederico Vasconcelos

Criminosos estão aplicando novo golpe, passando-se por advogados. Vários depoimentos nas redes sociais comprovam o golpe, que duplamente atinge advogados e pessoas aleatoriamente escolhidas pelos criminosos, muitas vezes aposentados.

O plano criminoso consiste no envio de cartas em papel timbrado com o logotipo e o nome semelhante ao de uma empresa falida, oferecendo acordo em processo de falência, sendo certo que a pessoa que recebe a carta, para receber o valor proposto para acordo, precisa “apenas” arcar com os custos do processo.

Os golpistas enviam as falsas correspondências tendo como remetente advogados. E, para dar uma impressão de veracidade, os criminosos colocam o nome verdadeiro do advogado, o CNPJ verdadeiro do escritório e o número correto registrado na OAB. Portanto, com esses dados verdadeiros, qualquer busca na internet fornecerá informações verdadeiras acerca do advogado que também é vítima.

Os golpistas colocam nas correspondências informações verdadeiras passando a impressão de que se trata de uma proposta de acordo verdadeira. E, por fim, para atingir seu objetivo criminoso, os golpistas falsificam a assinatura do advogado.

O advogado paulista Marcelo Rossi Nobre é uma dessas vítimas. O seu nome, endereço, CNPJ e inscrição na OAB estão sendo criminosamente utilizados por esta quadrilha que está lesando um grande número de pessoas no País inteiro.

“Tudo indica que os golpistas utilizaram de informações da época em que exerci o cargo de síndico no processo de falência da Caixa Geral S/A Seguradora no ano de 2005, ou seja, antes de eu ter integrado o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). É certo também que estes criminosos se utilizaram de outros dados atuais”, diz Marcelo Nobre.

Na correspondência, os estelionatários fornecem alguns números de telefone com o objetivo de “orientar” suas vítimas. Ao ligar para o telefone indicado, o criminoso atende como se fosse o advogado e combina a liberação do dinheiro mediante um pagamento antecipado das custas do processo. E, elas só percebem o golpe quando, após o depósito, não conseguem mais qualquer contato com os golpistas.

“Como os dados dos advogados são verdadeiros, as pessoas realizam buscas pela internet e terminam ligando para o escritório de Advocacia verdadeiro e descobrindo que, como eles, os advogados também são vítimas desse golpe”, lamenta Marcelo Nobre.