“Mantenho produtividade mensal bastante razoável”

Por Frederico Vasconcelos

O desembargador Gil Coelho, da Subseção 2 de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, diz que há períodos mais ou menos produtivos, dependendo da complexidade em determinados casos. “Importante é a produtividade mensal, que mantenho em nível bastante razoável”, diz.

Em outubro, a média do acervo da subseção era de 1.168 processos. A lista publicada na Folha indica que havia 2.037 processos no gabinete do desembargador.

Eis a íntegra de sua resposta:

1. Ao ser promovido ao cargo de Desembargador, recebi mais de 1.000 processos que já existiam na cadeira que assumi, aos quais se somaram as novas distribuições.

2. Venho reduzindo, nestes últimos anos, o acervo de processos em meu nome, mediante constante trabalho. Conforme estatísticas publicadas, tenho cumprido regularmente as metas fixadas pelo Conselho Nacional de Justiça. Em 2014, apreciei quase a totalidade dos processos que me foram distribuídos até 31.12.2011.

3. Preocupo-me com a produtividade, lembrando que há períodos mais ou menos produtivos, dependentes de fatores vários como a complexidade de determinados casos. Em um dia, podem ser apreciados mais de 10 processos, enquanto um só processo pode exigir mais de um dia para o seu exame.

4. Na análise da situação, importante é a produtividade mensal, que mantenho em nível bastante razoável, sempre com especial dedicação no exame dos processos, mesmo contando com o auxílio de ótimos assessores, porque entendo que a responsabilidade da prestação jurisdicional é exclusiva do magistrado.