Advogados contra a execução de brasileiro condenado por tráfico

Por Frederico Vasconcelos

O presidente do Movimento de Defesa da Advocacia – MDA, Marcelo Knopfelmacher, divulgou nesta sexta-feira (16) nota fazendo coro ao pedido da presidente Dilma Rousseff à presidência da Indonésia para que não seja executado o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, condenado por tráfico. O MDA alega respeito à reciprocidade de tratamento humanitário.

Eis a íntegra da manifestação:

 

Nota Pública
 
Em vista da decisão anunciada no sentido da negativa do pedido pessoal da Presidente Dilma Rousseff ao Presidente Joko Widodo, formulado por telefonema, a Advocacia brasileira, em respeito ao que preconiza a Constituição Federal de nosso país –que coíbe veementemente a pena de morte– vem reforçar o pedido de clemência apresentado pela Presidência da República Federativa do Brasil à Presidência da Indonésia, rogando não seja levada a cabo a execução do brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, em respeito à reciprocidade de tratamento humanitário, já que nenhum cidadão da Indonésia seria levado à pena capital mesmo se condenado por igual crime no Brasil.
 
Marcelo Knopfelmacher
 
Presidente do Movimento de Defesa da Advocacia – MDA