Associação de magistrados orienta os juízes sobre como imigrar para os EUA

Por Frederico Vasconcelos

Advogado fará uma série de apresentações na Apamagis para explicar o programa de obtenção do “green card”.

 

Green CardSob o título “Palestra na Apamagis abordará oportunidade de imigração a juízes brasileiros“, a Associação Paulista de Magistrados anuncia em boletim informativo a realização na entidade de uma série de apresentações do advogado Fred Burgess para “esclarecer aos associados a oportunidade de imigração para os Estados Unidos”.

O advogado é sócio do escritório Burgess Law Firm, especialista na área de imigração nos Estados Unidos, e fará a apresentação com Renata Castro Alves, gestora de projetos da Exclusive Visas.

O coordenador do evento é o desembargador José Orestes de Souza Nery.

A seguir, dados sobre o programa publicados no informativo da Apamagis:

 

A oportunidade faz parte do programa do governo federal norte-americano chamado de EB5. Ele é reconhecido pelo Estatuto 8 C.F.R. (Code of Federal Regulations), que proporciona residência ou permanência legal nos Estados Unidos mediante investimento financeiro em empreendimentos de terceiros ou próprios.

Uma vez aprovado, o investidor é autorizado a efetuar o depósito (valor por família de US$ 500 mil) e aguardar a autorização da emissão do Green Card pela autoridade consular. O direito é extensivo ao cônjuge e filhos menores até 21 anos na data de recebimento da petição pela agência imigratória. Se por qualquer razão a emissão do Green Card for indeferido o dinheiro é devolvido. O investimento deve ficar sob a guarda de uma instituição financeira escolhida pelo Centro de Regional de Imigração.

O evento conta com a organização do juiz aposentado Newton Azevedo, que passou pelo respectivo processo com sua família, conquistou o Green Card e fixou residência nos EUA. Azevedo conta que investiu na reforma e ampliação de um hospital no Alabama e o processo demorou apenas alguns meses para que fosse emitido.

Reportagem do jornalista Felipe Maia, publicada na Folha no último dia 11, revela que o juiz Azevedo “vendeu propriedades no Brasil para investir US$ 500 mil (R$ 1,3 milhão) na reforma e na ampliação de um hospital batista no Estado americano do Alabama”.

Segundo o texto, “ele não espera multiplicar o valor e já considera de bom tamanho se, daqui a cinco anos, receber o investimento (na prática, um empréstimo) com correção de 3,5%. O objetivo era receber um ‘green card’ (visto de residência permanente nos EUA)”.