Intolerância com a impunidade

Por Frederico Vasconcelos

Cansaço com repetição de crimes impunes reforçou leis anticorrupção em vários países, diz advogado dos EUA.

De Robert Luskin, advogado criminalista dos Estados Unidos, em entrevista à jornalista Malu Gaspar, nas páginas amarelas da “Veja“, sobre as investigações envolvendo da Petrobras e a lei anticorrupção brasileira:

Não há resultados imediatos. Isso é um fato da vida nesses casos. A lei francesa precisou de uma década para se fazer sentir e provocar uma mudança positiva no ambiente de negócios. A rapidez da transformação no Brasil vai depender de como a lei será aplicada –se para todos ou de forma seletiva. Se valer só para poucos, de nada adiantará e o resultado desastroso será a perda de respeito por parte da sociedade. Cabe à sociedade mobilizar-se. Parece ingênuo dizer isso, mas um dos fatores que mais impulsionaram a aplicação de leis anticorrupção em muitos países foi a sensação de cansaço, de intolerância da população com a repetição impune desse tipo de crime.