Servidores do MPT criticam corte de gastos para pagar auxílio-moradia

Por Frederico Vasconcelos

Manifesto MPT Rondonópolis

Servidores da Procuradoria do Trabalho em Rondonópolis (MT) lançaram manifesto na internet em repúdio ao corte de gastos destinados a atividades fins do Ministério Público –como perícias– para garantir recursos do auxílio-moradia aos membros do Ministério Público do Trabalho.

“As funções institucionais do órgão não devem sucumbir diante de interesses de duvidável urgência”, afirmam no documento.

“Só para exemplificar, as perícias oriundas de denúncias de trabalhadores estão suspensas ao passo que os recursos para pagamento de auxílio moradia dos membros estão garantidos.”

Os servidores entendem que centenas de procuradores estão em sua cidade de origem, muitos com moradia própria, não necessitando de forma urgente de recursos para locação de imóveis.

Neste sábado (7), o Blog divulgou ofício circular da Procuradoria Geral do Trabalho informando às regionais que, em janeiro, o pagamento do auxílio-moradia seria efetuado usando créditos referentes a despesas de custeio, “especialmente verbas de diárias, passagens e hospedagens”.

Segundo a circular, “a PGT repassará às Regionais o mínimo imprescindível para atividades institucionais urgentes e inadiáveis, a título de diárias e passagens”, reduzindo os deslocamentos a Brasília nos primeiros meses do ano.

O Blog solicitou manifestação da PGT, em Brasília.