Petrolão e lealdades subjetivas

Por Frederico Vasconcelos

Toffoli e Ayres Britto

Do ministro Ayres Britto, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, sobre retirar do plenário o julgamento do petrolão, na revista “IstoÉ”:

O ideal seria o julgamento pelo plenário, pela maior visibilidade e contribuição dos onze ministros.”

Sobre a hipótese de o ministro Dias Toffoli, que presidirá as sessões, beneficiar réus ligados ao PT:

Pela minha própria experiência, não há o menor espaço para um pacto de lealdade subjetiva a quem quer que seja.”