Dúvidas do conselheiro do CNJ

Por Frederico Vasconcelos

Guilherme Calmons

Reportagem de Carolina Brígido, publicada nesta quarta-feira (8) no jornal “O Globo“, sob o título “Membros do CNJ criticam texto de Lewandowski – Parte do Estatuto da Magistratura, proposta mexe nas regras de interrogatório de magistrados”, revela que o desembargador federal Guilherme Calmon, do Conselho, não ficou convencido depois dos esclarecimentos do ministro Lewandowski:

São duas visões diferentes. Refleti sobre o que o presidente disse, mas não me convenci. Ele disse que houve equívoco, mas lendo o texto da minuta, não consigo chegar a outra conclusão. A proposta me parece, de fato, ser prejudicial no sentido de haver um retrocesso na atuação do CNJ. Há regras que, se aprovadas, vão gerar um aniquilamento do CNJ.”