CNJ suspende julgamento de Nery Júnior e Gilberto Jordan, do TRF-3

Por Frederico Vasconcelos

Pedido de vista interrompe votação, com 6 votos pela aposentoria compulsória e 3 votos pelo arquivamento.

O Conselho Nacional de Justiça suspendeu nesta terça-feira (16) o julgamento de processo contra os desembargadores Nery da Costa Júnior e Gilberto Jordan, com o pedido de vista do conselheiro Lelio Bentes Corrêa.

Corrêa tomou posse indicado pelo Tribunal Superior do Trabalho, ocupando a vaga da ministra Maria Cristina Peduzzi, que encerrou o mandato.

Nery da Costa Júnior e Gilberto Jordan, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, são acusados de forjar em 2011 uma “força tarefa” em Ponta Porã (MS), para beneficiar o Grupo Torlim, promovendo a liberação de bens apreendidos pela Justiça.

A votação foi suspensa com seis votos pela aposentadoria compulsória dos dois magistrados e três votos pelo arquivamento do processo. O conselheiro Paulo Teixeira votou pela conversão do julgamento em diligências. Caso não seja convertido, ele absolve os réus.

Votaram pela aposentadoria compulsória os conselheiros Gilberto Martins, Nancy Andrighi, Ana Maria Amarante, Saulo Bahia, Rubens Curado e Gisela Gondin.

Acompanharam o voto da relatora Deborah Ciocci, pelo arquivamento, os conselheiros Emmanoel Campelo e Fabiano Silveira. Ciocci entendeu que não havia provas contra os dois magistrados.

Faltam votar, além do novo conselheiro Lelio Corrêa, o presidente Ricardo Lewandowski e o conselheiro Flavio Sirangelo.

A conselheira Luiza Cristina Frischeisen declarou impedimento e não participou do julgamento.

———————————–

Obs. – Com acréscimo de informações às 14h37