Dados sigilosos de juízes vazam em MG

Por Frederico Vasconcelos

Do blog do jornalista Helcio Zolini, de Belo Horizonte, em post sob o título “Vazamento de dados sigilosos de juízes gera protestos no TJMG”:

***

O vazamento de dados sigilosos de inúmeros juízes e desembargadores mineiros provocou uma avalanche de reclamações junto à presidência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

O volume de queixas foi tão grande por parte dos magistrados que tiveram seus dados pessoais repassados a entidades sindicais que ensejou o gabinete da presidência do TJ mineiro a publicar, nesta quarta-feira (17), a seguinte nota de esclarecimento:

“Em virtude das inúmeras reclamações de juízes e desembargadores que aportaram na Presidência, o Tribunal de Justiça esclarece que, por qualquer de seus setores, não forneceu às entidades sindicais os endereços residenciais de magistrados.

Para o Tribunal, os dados pessoais de seu quadro funcional são sigilosos e não comportam fornecimento a terceiros, a qualquer título, salvo determinação legal ou judicial, pelo que a medida consistiria em inegável falta funcional passível de punição na seara administrativa”.