A voracidade do ex-procurador-geral

Por Frederico Vasconcelos

A inclusão do nome do advogado Aristides Junqueira na lista tríplice para vaga no Tribunal Superior Eleitoral causou mal-estar em sessão no Supremo, porque o ex-procurador-geral da República é defensor do governador do Acre, Tião Viana (PT), em inquérito sobre a Lava Jato no STJ.

Como este Blog já registrou, Aristides Junqueira chegou a afirmar, em sustentação oral no STF –como defensor de um ex-diretor do Banestado– que o juiz Sergio Moro manifestava “voracidade carcerária impressionante”.

Os ministros Marco Aurélio e Cármen Lúcia vislumbram a possibilidade de conflito, revela o repórter Márcio Falcão, na Folha, nesta sexta-feira (19).

“Estamos diante de um momento em que uma operação [Lava Jato], que causa comoção nacional, vai ter um advogado que às vezes pode subir à tribuna e alguns dos juízes lá vão sair na mesma hora e na sequência os dois estariam lado a lado numa bancada julgando”, disse Cármen Lúcia.

Junqueira recebeu 9 dos 11 votos do STF.