Roriz condenado por improbidade

Por Frederico Vasconcelos

O juiz da 3ª Vara de Fazenda Pública do Distrito Federal condenou o ex-governador Joaquim Roriz e familiares em ação civil pública pela prática de ato de improbidade administrativa. (*) Cabe recurso da decisão.

Entre outras sanções, o magistrado determinou a devolução de valores adquiridos ilicitamente com o aluguel de apartamentos do Residencial Monet, em Águas Claras (DF).

Segundo o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, o esquema envolveu a obtenção irregular de empréstimos e repactuação junto ao Banco de Brasília (BRB).

Eis trecho da decisão do magistrado: “Da fundamentação exposta, se vê que o réu Joaquim Domingos Roriz recebeu vantagem patrimonial indevida em favor de outrem (suas filhas Jaqueline Maria Roriz, Liliane Maria Roriz, Weslliane Maria Roriz Neuls; seu neto Rodrigo Domingos Roriz Abreu e a empresa familiar JJL Administração e Participação LTDA), bens imóveis pela WRJ Engenharia, empresa que tem interesse direto e indireto que pode ser amparado ou atingido por ação ou omissão decorrente da atribuição de Governador do Distrito Federal e Senador da República, pois mesmo com a derrota de sua candidata Maria Abadia, conseguiu manter indicações no Banco de Brasília.”

Os réus apresentaram contestação, argumentando inexistência de qualquer ato de improbidade.

A informação foi divulgada pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT).

——————————————-

(*) Processo : 2011.01.1.047063-0