Valério usou a mulher como “laranja”

Por Frederico Vasconcelos

 

Ao condenar o publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza a quatro anos e oito meses de prisão por omitir à Receita Federal valores elevados que transitaram em suas contas bancárias particulares –e nas contas de sua mulher, Renilda Santiago Fernandes de Souza– o juiz federal Jorge Gustavo Macêdo Costa traçou na sentença o seguinte perfil do operador do mensalão:

***

[O réu] evidencia, quanto à personalidade, traços de inclinação à prática delitiva, ganância, frieza e ausência de sensibilidade ético-social, conforme demonstrado nos autos, considerando a forma como tentou encobrir as informações ao Fisco, utilizando a própria esposa como “laranja” no contrato social das empresas, além do longo período de continuidade da prática criminosa.

***

O advogado Marcelo Leonardo, defensor de Valério, diz que o empresário “sofre uma perseguição tremenda em decorrência do mensalão”, e vai recorrer da decisão.