Servidora aposentada ganha mais que desembargadora no Tribunal da Bahia

Por Frederico Vasconcelos

Aposentadorias no TJ-Bahia
Nesta segunda-feira (27), o presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, desembargador Eserval Rocha, concedeu aposentadoria a uma servidora, com proventos integrais de R$ 36,3 mil, e a uma desembargadora, com proventos integrais de R$ 30,4 mil.

A servidora Ana Beatriz do Rio Checcucci está cadastrada como arquiteta da Secretaria do Tribunal. No ato da aposentadoria voluntária da servidora, está previsto que “o estorno referente ao limite constitucional deve ser devidamente observado quando da implantação dos proventos”.

A desembargadora Vilma Costa Veiga foi aposentada compulsoriamente por ter atingido a idade limite de 70 anos. Ela ocupava o cargo de Corregedor das Comarcas do Interior. A magistrada tentou retardar a aposentadoria compulsória, com base na PEC da Bengala.

No despacho em que determinou a lavratura do ato da aposentadoria, o presidente Eserval Rocha afirmou que Vilma Costa Veiga “desempenhou com ardoroso denodo sua atividade judiciária, por mais de 33 anos“.

Notável em suas decisões, manteve ânimo e entusiasmo renovados, para o exercício da Judicatura. Finda sua trajetória forense, recebendo efusivo aplauso dos magistrados, servidores, Advogados e jurisdicionados, deixando saudades“, registrou Rocha.

O Blog pediu à assessoria de imprensa do TJ-BA para consultar se a servidora gostaria de se manifestar.

———————————————-

Obs. Publicado com acréscimo de informações às 13h35