Sobre corrupção, astros e estrelas

Por Frederico Vasconcelos

Do advogado pernambucano José Paulo Cavalcanti Filho, em artigo sob o título “Corrupção na ditadura“, publicado nesta quarta-feira (26), na Folha:

 

Naquele tempo, a ideia de combater a corrupção se limitava a punir só quem recebia dinheiro, sem atingir empreiteiros ou militares envolvidos. Talvez porque fossem velhos companheiros da ditadura. Hoje é diferente. Nossas prisões passaram a ser frequentadas por donos de empreiteiras e políticos.

(…)

No fundo, a corrupção é um desvio da natureza humana praticado indistintamente por civis e militares. Só que, durante a ditadura militar, não se sabia dos submundos do poder porque havia censura. Hoje, felizmente, a liberdade nos permite saber. Essa é a diferença.

***

No final dos anos 60, o horóscopo de um jornal do Recife previu que um determinado dia seria favorável para negócios com militares e pouco propício a transações com civis.

Titular à época de coluna de amenidades num jornal alternativo, o editor deste Blog comentou: “Estão apelando para os astros para agradar as estrelas”.

A leitura do artigo de Cavalcanti Filho despertou uma dúvida: talvez a inusitada previsão do horóscopo não fosse uma bajulação aos militares, mas um alerta ou provocação camuflada, recurso que não era incomum nos tempos da censura.