Suprema cota de sacrifícios

Por Frederico Vasconcelos

Do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski:

“Eu sei que os tribunais têm dificuldades, mas os momentos são difíceis, nós temos que dar nossa cota de sacrifícios também”.

O comentário foi feito nesta terça-feira (6), quando o ministro pediu aos conselheiros do CNJ que sejam rigorosos na emissão de pareceres sobre pedidos de dotações orçamentárias e criação de novos cargos na Justiça.

Na quarta-feira (7), o STF aprovou a criação de um benefício mensal de R$ 5.400 para juízes auxiliares que trabalham nos gabinetes dos ministros.

No mesmo dia, a Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados aprovou um reajuste de 16% dos salários dos ministros do STF, que saltariam dos atuais R$ 33.763 para R$ 39.293,38.

Comentário do presidente da comissão, deputado Laerte Oliveira (SD-SE):

“O projeto encaminhado pelo Supremo Tribunal Federal, a mais alta Corte de Justiça do Brasil, adequa-se orçamentariamente e não seria ele o elemento comprometedor da crise econômica brasileira”.