Confiança dos ingleses nos juízes

Por Frederico Vasconcelos

Na Inglaterra, o índice de confiança da população no Poder Judiciário é de 80%; no Brasil, é de 31%.

Em palestra no Superior Tribunal de Justiça, Sean O’Brien, chefe da Secretaria no Serviço de Tribunais de Sua Majestade, citou dados de pesquisa de opinião sobre as profissões que as pessoas mais confiam na Inglaterra. “Os juízes estão sempre entre os primeiros colocados, com 80% de confiança.”

Os primeiros são os médicos, seguidos pelos professores, cientistas e depois juízes. No fim da lista estão os políticos, jornalistas e banqueiros, informa a assessoria de imprensa do STJ.

“O Judiciário sempre esteve na faixa de 70% a 80% de confiança. Os jornalistas sempre estiveram na faixa de 20%”, diz O’Brien.

Em outubro último, pesquisa da Fundação Getúlio Vargas sobre o índice de confiança nas instituições no primeiro semestre, revela que o Poder Judiciário (com 31%) só é mais confiável do que o Governo Federal, o Congresso Nacional e os Partidos Políticos.

As instituições em que os brasileiros mais confiam continuam sendo as Forças Armadas (67%) e a Igreja Católica (58%).

Ao contrário do que ocorre na Inglaterra, a Imprensa Escrita (47%) e as Emissoras de TV (34%) superam os índices de confiança no Judiciário.

Em junho, a Associação Nacional de Jornais (ANJ) divulgou o Índice de Percepção do Cumprimento das Leis (IPCLBrasil), mensurado pela Escola de Direito de São Paulo da FGV.

Segundo a coordenadora da pesquisa, Luciana Gross Cunha, citada pela ANJ, a queda de confiança no Governo Federal e no Poder Judiciário pode ser explicada, respectivamente, pela crise econômica, e por decisões polêmicas de magistrados divulgadas pela mídia.