Cautela e caldo de galinha

Por Frederico Vasconcelos

Magistrados experientes recebem advogados com a porta aberta, com a presença de assessores ou do advogado da parte contrária. É uma cautela para evitar constrangimentos.

O ministro Ricardo Lewandowski foi hábil ao convidar a imprensa para a audiência solicitada pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (detalhe que poderia ter sido divulgado no site do STF).

Em outras circunstâncias, repetiu a iniciativa de Itamar Franco, quando o baiano Antonio Carlos Magalhães anunciou que levaria ao presidente uma pasta recheada de denúncias.

Imaginando que se tratava de um blefe, Itamar convocou a imprensa e frustrou ACM, que trazia apenas recortes de jornais com reportagens que os jornalistas conheciam.

É o que registra o folclore político de Brasília.