O Judiciário é uma festa

Por Frederico Vasconcelos

Toffoli e a festa do Judiciário

É difícil avaliar o custo de cada cerimônia que o Poder Judiciário promove em Brasília, como foi o caso da entrega da “Ordem do Mérito do TSE Assis Brasil”, comenda criada pelo ministro Dias Toffoli, presidente do Tribunal Superior Eleitoral. A solenidade foi engalanada com a participação de Dragões da Independência.

Como as festas são realizadas à noite, é provável que os tribunais estaduais e federais gastem recursos públicos com passagens e diárias para o deslocamento de presidentes, assessores e representantes.

O TSE calcula em R$ 240 mil as despesas com a solenidade desta terça-feira (5). O valor não deve incluir as despesas de viagem assumidas pelos órgãos públicos de muitos dos 112 agraciados.

Na recepção para 1.500 pessoas em homenagem à posse do ministro, em 2009, a Caixa Econômica Federal –a pedido da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe)– desembolsou R$ 40 mil, alegando que visava “retorno mercadológico”.