Juízes repudiam estupro coletivo

Por Frederico Vasconcelos

A Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (Ajuris) divulgou nota em que repudia o estupro coletivo de uma jovem no Rio de Janeiro.

Além de manifestar solidariedade a todas as mulheres submetidas a atos brutais de violação de direitos sexuais, a entidade acompanhará o caso, alerta para a exposição indevida de imagens e propõe uma “intensa discussão sobre a questão da violência contra a mulher e o combate ao machismo e ao preconceito”.

***

Eis a íntegra da manifestação:

***

AJURIS repudia estupro coletivo ocorrido com jovem no RJ

A Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (AJURIS) vem a público repudiar o estupro coletivo ocorrido na última semana com uma jovem no Rio de Janeiro. O ato foi bárbaro e violou frontalmente a dignidade sexual e humana da vítima.

A AJURIS presta solidariedade a todas as vítimas e mulheres que, apesar de todos os avanços sociais, ainda são submetidas a atos brutais de violação de direitos sexuais, e insta as autoridades para que investiguem e responsabilizem os autores do lamentável fato. Alerta, também, para que as vítimas não sejam duplamente violadas em sua dignidade, pelo fato e pela exposição indevida das imagens.

O caso será acompanhado pelo Departamento de Direitos Humanos da AJURIS como afirmação de seu compromisso histórico de defesa dos direitos humanos.

A AJURIS clama as autoridades e a sociedade para promoverem intensa discussão sobre a questão da violência contra a mulher e o combate ao machismo e ao preconceito, como forma de conduzir a uma sociedade igualitária, livre, justa e solidária.

Gilberto Schäfer
Presidente da Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (AJURIS)