Revistas veem Eduardo Cunha de olho no CNJ

Por Frederico Vasconcelos

Sob o título Assessor da ‘tropa de choque’ de Cunha tenta cadeira no CNJ, o site da “Veja” publica:

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão responsável pelo controle do poder Judiciário, pode ter como um de seus próximos conselheiros um personagem-chave para que o processo de cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Conselho de Ética tenha deixado a sua marca como o mais longo da história.

Conhecido assessor da “tropa de choque” de Cunha, o jovem Lucas de Castro Rivas, 24 anos, coletou assinaturas dos principais líderes partidários para ser indicado à vaga que será aberta no órgão em outubro.

Comentário de um juiz paulista: “Com 24 anos esse cara não pode ser juiz mas pode ser do CNJ?”

***

Na semana passada, a “Época” publicou na coluna “Expresso”, do jornalista Murilo Ramos:

Eduardo Cunha está afastado da presidência da Câmara dos Deputados, mas continua mandando muito.

O advogado Renato Ramos, que ajudou na elaboração do parecer pelo impeachment de Dilma Rousseff, é o favorito para ocupar a vaga, indicada pela Câmara, de conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que será aberta em outubro.”