“Carta de Curitiba” destaca independência de Moro

Por Frederico Vasconcelos

Vitor Bizerra, Sergio Moro e George Lins

O grupo “Magistratura Free” divulgou texto da “Carta de Curitiba“, que traça as linhas do movimento e esclarece os motivos da homenagem ao juiz Sergio Moro, considerado “exemplo público de juiz independente”.

“Não temos partido, ideologia, filosofia ou interesses que não sejam os estritamente ligados à preservação do Estado Democrático de Direito”, afirma o documento.

“Em tempos da verdade substituída por versões, do direito por interesses, das instituições oficiais por grupos criminosos, não resta outra opção se não o resgate altivo, pacífico, isento e tranquilo dos valores que sustentam uma sociedade”, defende o movimento.

A carta é assinada pelos juízes Vitor Bizerra, do Tribunal de Justiça da Bahia, e George Lins, do Tribunal de Justiça do Amazonas, em nome do grupo que reúne 2.631 magistrados.

Aparentemente, a divulgação antecipada tem o objetivo de anular especulações sobre eventuais disputas eleitorais, ressaltando o objetivo do encontro que, segundo os organizadores, não está vinculado a interesses de associações.

Eis a íntegra da manifestação:

 

“CARTA DE CURITIBA

A junção de união, empenho, trabalho e ética sempre foi uma fórmula de sucesso. Quando uma sociedade adoece, é sobre esses pilares que passará a sua recuperação.

Graças a um juramento comum, tomado como missão incondicional, um grupo de Magistrados vocacionados se reuniu em torno da paixão pela Justiça e formou o Magistratura Free.

Não temos partido, ideologia, filosofia ou interesses que não sejam os estritamente ligados à preservação do Estado Democrático de Direito, à liberdade e à luta pelo bem de forma independente e imparcial, com total e irrestrito respeito às leis e à Constituição Federal de nosso país. Não buscamos cargos, projeções pessoais ou políticas, mas a pacificação e a união do Brasil em torno do certo e do justo.

Em tempos da verdade substituída por versões, do direito por interesses, das instituições oficiais por grupos criminosos, não resta outra opção se não o resgate altivo, pacífico, isento e tranquilo dos valores que sustentam uma sociedade.

Será pelo apreço ao justo e à missão institucional de um Estado verdadeiramente livre e igual que nos reunimos para renovar o compromisso de (re)construção de uma grande nação.

Exaltando a figura de todos os abnegados Magistrados brasileiros, rendemos homenagem ao Brasil e à liberdade na pessoa do colega Sergio Fernando Moro. Que seu exemplo público seja a referência do que os valores morais e um Juiz independente podem fazer por nossa sociedade.

Magistratura livre, forte e independente! Brasil sempre e acima de tudo!”

Vitor Bizerra – TJBA
George Lins – TJAM