O combate à corrupção levado a sério

Por Frederico Vasconcelos

“A Lava Jato tem que ir até onde os indícios de corrupção a levarem, até a apuração total dos crimes cometidos.”

A avaliação é do presidente da Transparência Internacional, José Ugaz, em entrevista a Thais Bilenky, publicada nesta segunda-feira (27) na Folha.

Segundo Ugaz, “pouquíssimos países no mundo em desenvolvimento estão levando tão a sério a luta contra a corrupção como o Brasil dá sinais de estar fazendo”.

“O fenômeno chama a atenção do mundo e, em particular, de investidores estrangeiros que veem o potencial de criação de novo ambiente de negócios onde haja menos cartéis e mais competição, menos suborno e mais império da lei.

Grandes corporações globais estão sujeitas a legislações duríssimas de alcance universal, por isso analisam riscos com cuidado. O discurso de que a Lava Jato é prejudicial à economia é falácia daqueles que se beneficiaram do sistema antigo e agora começam a pagar por seus crimes.”